ParóquiadaMaia

TESTEMUNHO DO PADRE DOMINGOS

Acompanhando o Ano Sacerdotal, vamos dar a conhecer o testemunho de alguns consagrados, que souberam escutar a proposta de Deus para uma entrega total e dar-Lhe uma resposta de vida.
Começamos, naturalmente, pelo nosso Padre Domingos.

Oriundo de uma família cristã e habituado à presença do pároco lá em casa, naturalmente se disponibilizou desde cedo para ajudar nas actividades paroquiais: O meu padrinho ajudava à Missa e ensinou-me. A partir dos 5 anos já ajudava à Missa sozinho.

Quando andava na 4ª classe, recebemos um dia lá na escola a visita de um missionário comboniano que nos perguntou Quem é que quer ser missionário?. Respondemos dois, eu e um colega. O missionário mandou-me chamar o meu Pai, que aceitou a minha vontade e foi mais tarde falar com o pároco, que era o Pe. Aurélio, hoje pároco de S.Pedro Fins. Foi ele que me levou de mota desde Arouca ao Seminário de Trancoso, em Gaia, para fazer a admissão.

Já no final da formação nos seminários diocesanos, esteve em St Pierre des Corps, em Tours, onde trabalhou com os Padres Operários e viveu de perto as revoltas estudantis de Maio de 1968.
Juntamente com outros colegas, encontrou-se ainda, em Zamora, com o Bispo do Porto, D. António Ferreira Gomes, então exilado por razões políticas.

Quando estava já em estágio no Seminário, o Sr. D. António, que entretanto tinha regressado à diocese, convocou-me e propôs-me ir colaborar em Cedofeita como coadjutor, mas perguntou-me também se gostaria de trabalhar no Seminário Menor, então já a funcionar no Bom Pastor, em Ermesinde. Foi assim que, ainda como diácono, lá comecei a trabalhar em Outubro de 1969, ensinando História e outras disciplinas.

12 de Julho de 1970 foi o dia grande da ordenação sacerdotal, após o que continuou no Bom Pastor, participando na gestão do seminário mas sobretudo formando os jovens seminaristas. Apoiava ainda as paróquias vizinhas de Ermesinde e Alfena, em especial os CPM e grupos de jovens e, nas férias, colaborava na sua paróquia natal de Cabreiros. Até que...

Em 1989 o Bispo do Porto D. Júlio Rebimbas chamou-me e pediu-me que viesse para a Maia. Respondi-lhe que estava disponível para qualquer sítio onde entendesse que eu seria útil.

A partir daqui já conhecemos a história. Conquistando o coração e a colaboração dos paroquianos, muitos projectos comuns foram lançados e concretizados, fazendo crescer a comunidade na fé e nas obras. Em 2002, o mesmo entusiasmo e dinamismo se estenderam a Gemunde, que o Pe. Domingos passou também a paroquiar.

2010-01-03 | Equipa Paroquial Vocacional

Outros artigos

Conversas de namorados

Equipa Paroquial Vocacional | 2013-03-10

Vamos realizar aqui na Maia, pela terceira vez, as Conversas de Namorados. São encontros para jovens que querem refletir sobre esta etapa de discernimento vocacional (...)
Exibição do filme Os Dez Mandamentos

Equipa Paroquial Vocacional | 2012-04-30

No decorrer da Semana de Oração pelas Vocações, a EPV exibiu o filme “Os Dez Mandamentos”, no dia 25 de abril, pelas 15 horas.
Equipa de Pastoral Vocacional

Redação | 2011-09-19

Testemunho de António Francisco dos Santos - Parte 1

Equipa Paroquial Vocacional | 2010-09-05



Paróquia da Maia © 2014
pdj@paroquiadamaia.net
redacao@paroquiadamaia.net